Fernanda Paes Leme

Profetizei irresponsavelmente há uns tempos atrás que o Twitter se Orkutizaria assim que Caminho das Índias entrasse no ar. “Do Marcelo Tas passarás, mas no Vitor Fasano ficarás”, pensava eu. Fato é que eu não caso nada no chão pelas minhas tentativas verborrágicas de prever tendências. Apesar de dar lá meus pitacos, não visto a camisa de opinólogo-de-twitter. Aliás, a única camisa que tenho vestido com orgulho ultimamente é a do Mengão. E olhe lá!

Mesmo assim, devo uma resposta. A mim mesmo até. Afinal, depois da invasão dos famosos ao Twitter e o estupro promovido pelos mesmos ao ranking de mais seguidos, simplesmente calei. Passaram os faniquitos da Xuxa – que me garantiram que ela é versão brasileira do Michael Jackson -, a vergonha alheia do Tico Santa Cruz e as picuinhas bloguerianas entre Barrichelo e Vesgo…

Abre parênteses. Confesso sem dor na alma que sigo uma dessas celebridades: Fernanda Paes Leme! Por questões óbvias e um contato muito belo e inesquecível que tivemos em 2005. Coisa só nossa.

… e cá estamos, encarando o Zé Mayer com um olhar de que quer te comer gostoso no Trend Topics do Twitter. Então chegou a hora de falar.

Se TV aberta é o ópio do povo, Novela e Twitter combinam mais que Red Label com energético pra toda uma nova geração de amantes (e futuros profissionais) das soxial medias. São toneladas de criatividade transbordando hashtags muito loucas e ousadas, potencializadas por uma tácita parceria entre o Manoel Carlos e esses grandes produtores de (micro-)conteúdo.

E para calar de vez meus argumentos de outrora, #zemayerfacts não é a orkutização do Twitter. Enquanto a Platinada for a inspiração maior para a nossa marturbação mental diária pós-expediente, entre outras coisas, toda e qualquer rede sociail vai transpirar Orkutilidade verde-amarela por esse imenso Brasil-il-il!

E fica a dúvida: Quem é melhor: Chris Anderson ou Roberto Marinho? #Cenasdoproximocapitulo.

Advertisements